Sindaesp Informa

Edição nº 058 - São Paulo, 18 de maio de 2017.

Foi um sucesso o Conexão 2017

Foi um sucesso o Conexão 2017, evento realizado pelo Sindaesp, que promoveu nos dias 08, 09 e 11 de maio, em São Paulo (SP), workshops que debateram novas oportunidades de negócios para empresas do setor de consultoria em gestão e treinamento.

Concorridas, as apresentações comandadas pelos palestrantes Paulo Queija, Fabio Torres e Maria Augusta Orofino, tiveram como temas: “Serviços Inovadores na Era da Experiência”; “Vender ou ser Comprado” e “Modelos de Negócios e Organizações Exponenciais” e reuniram mais de 200 profissionais da área.

 
Como se tornar um colaborador da Coletânea ADM 2017

Já estamos preparando a quarta edição da Coletânea ADM, publicação anual da Associação Brasileira de Administração (ADM). Se você é administrador e deseja ter artigo publicado na revista encaminhe o seu trabalho para o Comitê Editorial da ADM, através do e-mail: admbrasileira@admbrasileira.com.br. A revista privilegia a inserção de artigos que tratem de temas contemporâneos no campo da administração com o objetivo de informar e estimular as boas práticas. As edições anteriores estão disponíveis para leitura no site: www.admbrasileira.com.br.

 

Setor de serviços paulistano registrou alta de 1,6%

Fonte: FecomercioSP

Em março, o faturamento real do setor de serviços da cidade de São Paulo registrou alta de 1,6% em relação ao mesmo mês do ano anterior e atingiu R$ 20,3 bilhões, R$ 324 milhões acima do valor apurado em março de 2016.  Assim, o primeiro trimestre deste ano acumula crescimento de 2,5%, totalizando um faturamento real de R$ 68,9 bilhões. Os dados são da Pesquisa Conjuntural do Setor de Serviços (PCSS), que traz o primeiro indicador mensal do setor de serviços em âmbito municipal elaborado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Das 13 atividades avaliadas, apenas quatro registraram crescimento no faturamento real em março, no comparativo com o mesmo mês de 2016, e garantiram o bom desempenho do setor: saúde (13,3%); agenciamento, corretagem e intermediação (9,5%); Simples Nacional (6,5%) e serviços bancários, financeiros e securitários (6,3%). Somadas, essas atividades colaboraram positivamente com 3,9 pontos porcentuais (p.p) para o resultado geral. 

Os piores resultados foram vistos nas atividades de turismo, hospedagem, eventos e assemelhados (-30,6%); técnico-científico (-11,8%); conservação, limpeza e reparação de bens móveis (-8,0%) que, em conjunto, impactaram negativamente com 1,4 p.p. para rebaixar o faturamento do setor de serviços paulistanos em março.

A notícia completa, está disponível no link: www.fecomercio.com.br/noticia/setor-de-servicos-paulistano-registra-alta-de-1-6-e-cresce-pelo-terceiro-mes-seguido

Carreiras menos estressantes e as de maior interesse no trabalho

Fonte: Você S/A

Pesquisa realizada pela consultoria Robert Half sobre felicidade no trabalho com 23 mil pessoas de oito países (Austrália, Bélgica, Canadá, França, Alemanha, Holanda, Reino Unido e Estados Unidos) apontou “tecnologia” como sendo a carreira com menor nível de estresse seguida pela área financeiro-administrativa e por marketing/criação. Já quando se trata das que despertam maior interesse, marketing e setor criativo lideram o ranking. Na sequência aparecem: jurídico e tecnologia.

Ranking de menor estresse Área de atuação

Tecnologia

Financeiro-administrativo

Marketing e setor criativo

Contabilidade

Administrativo

Serviços financeiros

Jurídico

 

Ranking de maior interesse no trabalho Área de atuação

Marketing e setor criativo

Jurídico

Tecnologia

Administrativo

Serviços financeiros

Financeiro-administrativo

Contabilidade
 

O que traz felicidade?

O estudo da Robert Half aponta que a conquista da felicidade profissional não se resume a baixos níveis de estresse ou alto grau de interesse na atividade desempenhada. A equação é bem mais complexa. Na média global, a variável mais importante para essa conta é o orgulho que o indivíduo sente da organização na qual trabalha.

Analisadas apenas as respostas de profissionais do sexo feminino, o fator mais relevante para a felicidade não é o orgulho do empregado, mas sim um ambiente que preze por igualdade e respeito.

Os profissionais mais satisfeitos têm entre 18 e 34 anos de idade e atuam em organizações com menos de 10 funcionários. Além disso, trabalham há menos de um ano ou têm entre 6 e 10 anos de experiência profissional.

O campo de atuação mais feliz é marketing/criação, seguido de tecnologia e administrativo.

 
Siga-nos no facebook e fique por dentro do e-Social!

 

Cadastre-se

COMPARTILHE ESTE INFORMATIVO:
Twitter Facebook Delicious Digg Blogger LinkedIn
Está autorizado o reenvio ou reprodução (parcial ou na íntegra) dos textos publicados desde que citada a fonte.
 
Expediente